Autores

Este é um zine eletrônico em que publicamos tudo o que gostamos, com alguma curadoria. Com edição de Roberta AR e coedição de André Luiz Rafaini Lopes. Colaboradores Adriano de Almeida André Francioli André Gonzales Antonio Netto Antonio Souza Biu Bruno Azevêdo Caio Gomez Casa Locomotiva Carla Lisboa Carlos Dowling Chapamamba Cicinho Filisteu Clara do Prado Cláudo Parentela DigóesX … Continue lendo Autores

O Socialismo e as Igrejas

por Rosa Luxemburgo* I Desde o momento em que os trabalhadores do nosso país e da Rússia começaram a lutar corajosamente contra o governo czarista e contra os exploradores capitalistas, notamos cada vez com mais freqüência que os padres, nos seus sermões, se lançam contra os trabalhadores que lutam. É com extraordinário vigor que o … Continue lendo O Socialismo e as Igrejas

Quinze anos de Facada X

por Roberta AR Criado como um espaço livre para publicar, por mim e pelo André, o Facada sempre esteve aberto aos nossos amigos e a pessoas que se aproximaram para trocas interessantes. Começamos um ano depois do lançamento do orkut, que ainda era fechado apenas para convidados,  então muito do que foi postado no início … Continue lendo Quinze anos de Facada X

Lição póstuma

por Carmen Dolores* No carro que conduzia à casa da amiga morta, Madalena meditava com melancolia, conchegando ao busto ainda belo as rendas negras do vestuário de luto improvisado para esse inesperado transe. Morrera Valentina, a sua querida companheira da infância!… Extinguira-se de repente, na véspera, essa doce criatura pálida, cuja vida frágil, de sempre … Continue lendo Lição póstuma

Ismália

por Alphonsus de Guimaraens* Quando Ismália enlouqueceu,Pôs-se na torre a sonhar…Viu uma lua no céu,Viu outra lua no mar. No sonho em que se perdeu,Banhou-se toda em luar…Queria subir ao céu,Queria descer ao mar… E, no desvario seu,Na torre pôs-se a cantar…Estava perto do céu,Estava longe do mar… E como um anjo pendeuAs asas para … Continue lendo Ismália

Eveline

por James Joyce* Estava sentada à janela, vendo a noite invadir a avenida. Sua cabeça inclinava-se contra as cortinas e em suas narinas estava o cheiro de cretone empoeirado. Estava cansada. Poucas pessoas passavam. O homem da última casa passou rumo ao lar; ela escutou seus passos sobre o pavimento de concreto e depois esmagando … Continue lendo Eveline