Acordes Poéticos

por Júlia da Costa*

Não tenho segredos! É pura minh`alma!
Qual cândida aurora rasgando o seu véu!
Velando ou dormindo, chorando ou sorrindo,
Só amo – meus campos – meu solo – meu céu!

Cresci sobre um ermo tristonho e sombrio
Soltei nas campinas meu primeiro cantar!
Saudei nas montanhas o sol que nascia,
Brinquei entre moitas ao claro luar!

Sou jovem, sou meiga! Sorri-me o futuro
Nas fímbrias doiradas de aurorars de paz!
A flor das campinas só ama o infinito
Do céu das venturas…não quero nada mais!

As flores prados não causam-me inveja,
Que hei flores mimosas no meu coração!
Lauréis e grandezas, eu não, não aspiro!
Não quero ter gozo tão falso, tão vão!

Não tenho segredos! É pura minh`alma!
Qual cândida aurora rasgando o seu véu!
Velando ou dormindo, tristonha ou alegre,
Só amo – meus campos – meu solo – meu céu!

.

*Júlia Maria da Costa (1844 – 1911) foi poetisa e escritora de crônicas-folhetins brasileira. Este poema foi extraído do livro Flores Dispersas – 1ª série.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s