Podcast e videocast: Facada X em outras mídias

por André Rafaini Lopes

Quinze anos de Facada… e vou aproveitar para registrar aqui, oficialmente todo o mérito da minha querida editora-amiga-irmã Roberta AR. Às vezes temo levar crédito por essa obra que é muito, muito, fruto da visão e empenho dela! Tá… eu não fui pautado para ficar jogando confete: hoje é dia de podcast e videocast, bebê.

Pois então, ao longo desses anos, a Roberta conseguiu criar um cantinho de liberdade e criatividade… E, mais do que isso, preservou a independência do nosso zine. Tá, chegou a hora de eu entrar na história. Estive no começo do Facada… meu primeiro texto ainda está lá… Quatro de outubro de 2005. Caramba… Olhando a timeline das minhas contribuições, confesso que ainda bate um certo peso na consciência pelas enormes lacunas que deixei. Como um pai ausente, aparecia uma… duas vezes ao ano para ver a cria. Postava alguma coisinha… e sumia. Aí quando o rebento estava taludo, eu voltei pra ficar – rs…

E a amizade e o contato com a Roberta nunca cessou. Muito menos a admiração pelas posturas dela… pela história dela… pela cultura dela… 

Acho que dá para estimar que esse meu retorno, se deu há cinco anos… Naquela época, o Facada estava comemorando sua primeira década. Não sei porque cargas d’água eu tinha um gravador de áudio todo emperequetado e foi com ele e com o Skype que fizemos sete edições do Facadacast! Seis delas estão no ar e podem ser ouvidas aqui. Ainda tem uma sétima que ficou sem finalizar, mas está toda captada! Será que um dia a gente finaliza o episódio perdido?

Eu sempre odiei a minha voz… e a minha gagueira que às vezes aparece… mas o ambiente do Facada era tão seguro que meti as caras! Tivemos conversas incríveis… Infelizmente, por minha alta inexperiência, não consegui manter o ritmo de edição e o podcast entrou em hiato!

Mais um tempinho se passou e a febre do audiovisual não passou… Fiquei matutando uma forma de trazer conteúdo em vídeo que não desse trabalho para editar e matei a charada: celular! Gravar e montar usando um aplicativo do celular… coisa que poderia fazer rapidinho, sem um computador que exigisse cortes de câmera… sincronização de áudio… muitos efeitos especiais…

Nesse tempo eu tava na febre dos jogos de tabuleiro! A vontade de falar era tanta que me joguei na frente da câmera! Aí tive que vencer todas as barreiras da timidez para me expor! Culpa também do ambiente seguro do Facada! Gravava takes únicos para a introdução, para o jogo montado na mesa e para as conclusões finais! No celular, colocava só uma vinhetinha produzida em outro app gratuito e compilava os takes em ordem!

Hoje temos quase 80 vídeos no canal! Alguns até que comecei a explorar outros assuntos… como jogos eletrônicos, música e histórias em quadrinhos… Aliás, quero começar a produzir mais sobre HQs! 

Uma curiosidade: minha experiência no Facada foi que me encorajou a criar vídeos para meu trabalho oficial! E isso me abriu uma estrada imensa para que eu crescesse e me especializasse ainda mais na produção audiovisual! 

E o Facada também ganhou com isso… acho… O trabalho com vídeo me colocou em contato com profissionais espetaculares e muuuuuuuito mais experientes que eu! E isso possibilitou retroalimentar o coletivo. Meus vídeos ganharam uma edição melhor (agora feitas no Premiere) e melhor som! 

Que venham mais 15 anos de Facada!

Ouça nosso PODCAST clicando aqui
Veja nosso VIDEOCAST clicando aqui

Eventos, zines e listas: o analógico no Facada X

por Roberta AR

São quinze anos deste espaço virtual, num emaranhado de conteúdos que conversam entre si, ou não, mas também tivemos nossos momentos analógicos. Desde o início do Facada X, temos ido a eventos e falado sobre eles. Em linguagem bem informal, muitas vezes, pois ainda não tínhamos redes sociais em boa parte dessa história.

Estivemos, por exemplo, numa das primeiras edições do FIQ – Festival Internacional de Quadrinhos de BH, em 2005, o André fez quatro posts falando sobre o evento: parte I, II, III e IV.

Também estivemos na Mostra Trash (que agora se chama Crash), em Goiânia, em 2006, que teve exibição do vídeo Pombos Comem Carne, que pode ser visto aqui. Sobre a mostra, a Roberta fez dois posts: parte I e II.

Nós também fizemos parte da organização do Brucutumia 2008, evento realizado em Lisboa, Portugal, com a participação de autores de quadrinhos do Brasil. A Roberta esteve junto com a produção do evento e falou um pouco dele por aqui. Brucutumia 2008: secando o Atlântico.

comicjam1

O Evandro Esfolando, personalidade conhecida do rock de Brasília, fez alguns posts aqui, antes de criar o próprio blog, um deles foi sobre sua participação no Festival Jambolada, em Uberlândia, em 2008.

Em 2010, numa parceria com a HQMIX Livraria de São Paulo, trouxemos para Brasília a Jam Session de Quadrinhos, que foi realizada durante dois dias na saudosa Kingdom Comics. A Roberta, que organizou o evento junto com a loja, falou aqui sobre sua organização e fez um balanço do evento com uma degustação do resultado da maratona de quadrinhos para criar novos capítulos para O crime do teishouku preto.

Além de eventos, também produzimos algumas publicações impressas. As mais recentes podem ser lidas na aba IMPRESSOS do blog. Estão também on-line, as versões impressas estão esgotadas, os zines: Uma pessoa asquerosa, Pés – Volume I, Por Acaso?, Cabelos – Volume II. Antes disso, tivemos a curta experiência com as Edições Facada, que foram descontinuadas.

unnamed

Para finalizar este capítulo da nossa história, precisamos falar das listas, que entraram mais recentemente nas nossas postagens. São publicações que organizam assuntos interessantes para consultarmos on-line e acompanharmos no mundo analógico. Fizemos listas de Ilustradoras Negras (lista I e lista II) , Mulheres Artistas Indígenas, e nossa lista de Mulheres Quadrinistas que ainda está em andamento (colabore mandando e-mail para blogfacadax@gmail.com).

O Facada e suas publicações de domínio público

por Roberta AR

O Facada X foi criado para ser um espaço de livre difusão, quando a internet se tornou um lugar de trocas de fácil acesso. Um dos ideais é o do conteúdo de qualidade sem custo, por isso é um zine eletrônico com licença Creative Commons. Em certo momento, decidimos começar a publicar filmes, livros, fotos, reproduções de pinturas e outras coisas que caíram em domínio público. Nosso acervo é muito extenso, textos políticos, filmes do expressionismo alemão, romances de escritoras brasileiras são algumas das coisas que colocamos no ar.

Neste espírito da troca e da divulgação, reproduzimos conteúdos de vários lugares, um deles é a página que divulga mulheres pintoras já falecidas (nem tudo de domínio público) Female artists in history, reproduzimos alguns de seus posts por aqui e neste link fizemos uma pequena entrevista com sua criadora e contamos um pouco a história desse espaço.

Como o acesso público a conteúdos tem sido uma bandeira nossa, fizemos também um episódio do nosso podcast de vida curta sobre isso: Facada Cast 004 – Tá dominado! Tá tudo dominado! Falaremos sobre nosso podcast e nosso videocast em outro post.

Aqui, listamos o que temos de domínio público no ar, por nome do autor:

Abigail de Andrade

Adelaide Schloenbach Blumenschein

Adelina Lopes Vieira

AF Schmidt

Alberto Caeiro

Albertus Seba

Aleister Crowley

Alexis de Tocqueville

Alfred Le Petit

Alfrida Baadsgaard

Alida Withoos

Alphonsus de Guimaraens

Álvares de Azevedo

Álvaro de Campos

Andreas Vesalius

Andrei Rublev

Angelo Agostini

Anita Clara Rée

Anna Althea Hills

Anna Ancher

Anna Atkins

Anna Diriks

Anna Maria van Schurman

Anne Allen

Anne Vallayer-Coster

Anthonore Christensen

Antoine Saint-Exupery

Antoine Watteau

Anton Tchekhov

Artemisia Gentileschi

Artur Azevedo

Artur Rimbaud

Auguste Bouquet

Auta de Souza

Barbara Longhi

Bartolomeo Scappi

Beatrix Potter

Benedikt Lergetporer

Bernardo Guimarães

Bernardo Soares

Bertha Worms

Betty Boop

Bocage

Broncia Koller-Pinell

Camille Claudel

Caravaggio

Carl Friedrich Mylius

Carl Wilhelm Hahn

Carmen Dolores

Castro Alves

Cecil Hepworth

Charles Baudelaire

Charles Chaplin

Charles Deburau

Chiquinha Gonzaga

Cimabue

Clara Peeters

Clara Zetkin

Clarissa Peters Russell

Coleção Brito Alves

Coleção Thereza Christina Maria

Dante Alighieri

Délia

Delminda Silveira

Eça de Queirós

Edgar Allan Poe

Edvard Munch

Elisabeth Keyser

Élisabeth Sophie Chéron

Eloise Harriet Stannard

Emília Moncorvo Bandeira de Melo

Emma Goldman

Ernst Moerman

Éros Academie

Errico Malatesta

F. W. Murnau

Fernando Pessoa

Fiódor Dostoiévski

Fleischer & Famous

Florbela Espanca

Francisca Júlia da Silva

Francisco Goya

Francis Masson

François Chauveau

Frank R. Strayer

Franz Kafka

Fratelli Alinari

Friederich Engels

Friedrich Nietzsche

G. Bodenehr

G. Gaillard

Gabriela Frederica de Andrada Dias Mesquita

Gautier D’Agoty 

Gaslight (filme de 1940)

Gebroeders van Limburg

Georg Lukács

George Ripley

Georges Méliès

Gerda Wegener

Gertrude Käsebier

Gertrude Stein

Giacomo Franco

Giuseppe Arcimboldo

Gregório de Matos

Grupo Krisis

Guilherme Gaensly

Guilliame Sicard

Gustav Klimt

Hale Asaf

Hans Staden

Harriet Brims

Helen Allingham

Henriëtte Ronner-Knip

Henry Charles Andrews

Herman Goethe

Hieronymus Bosch

Hilma af Klint

Hipólito José da Costa

Hiroshige

Humberto Mauro

Ida Gisiko-Spärck

Ike no Taiga

Imogen Cunningham

Imperador Huizong

Irmãos Lumière

Isadore Sparber

James Joyce

Jean Baptiste Debret

Jean-Jacques Rousseau

Jeanne Hébuterne

JF Hennig

JF Naumann

Johan F. L. Dreier

Johann Friedrich Wilhelm Herbst

John Gould

John Tenniel

Juan Eusebio Nieremberg

Juana Romani

Judith Leyster

Jules-Adolphe Chauvet

Júlia da Costa

Júlia Lopes de Almeida

Julia Margaret Cameron

Julie de Graag

Karl Marx

Kate Greenaway

Käthe Kollwitz

L. Schmidt

Ladislas Starevich

Laura Muntz Lyall

Lavinia Fontana

Leni Riefenstahl

Leon Dabo

Léon Spilliaert

Lewis Carroll

Lima Barreto

Little Tich

Louis Agassiz Fuertes

Louise Michel

Lucie Cousturier

Luigi Fabbri

Machado de Assis

Magdalena van de Passe

Marc Ferrez

Margaret Bourke-White

Margaret Macdonald Mackintosh

Maria Firmina dos Reis

Maria Lacerda de Moura

Maria Sibylla Merian

Marianne North

Marianne von Werefkin

Mário de Andrade

Mário Peixoto

Matias Aires

Matilde Malenchini

Merrie Melodies

Mia Arnesby Brown

Mikalojus Čiurlionis

Mikhail Bakunin

Napoleon Sarony

Narcisa Amália

Nicolau Maquiavel

Nísia Floresta

Olga Boznańska

Oscar Wilde

Otis Turner

Pat Sullivan

Paul Gauguin

Paul Klee

Paul Legrand

Paula Modersohn-Becker

Percy Stow

Philipp Baum

Pierre-Joseph Proudhon

Pieter Bruegel

Pieter Cramer

Piotr  Kropotkin

Plautilla Nelli

Pseudo-Callisthenes

Ramón de la Sagra

Raphael Tuck & Sons

Ricardo Reis

Robert Louis Stevenson

Robert Wiene

Sacher-Masoch

Séraphine Louis

Serguei Eisenstein

Shunkōsai Hokushū

Sofonisba Anguissola

Stephen Thompson

Suor Isabella Piccini

Teresa Margarida da Silva e Orta

Thomas Edison

Toulouse Lautrec

Toni Gürke

Utagawa Kuniyoshi

Utagawa Toyokuni

Van Beuren Studios

Van Gogh

Vera Willoughby 

Visconde de Taunay

Vittotio Putti

Vladimir Maiakovski

Voltairine de Cleyre

Walter Benjamin

William Blake

William Cheselden

Winsor McCay

Quinze anos de Facada X

por Roberta AR

Criado como um espaço livre para publicar, por mim e pelo André, o Facada sempre esteve aberto aos nossos amigos e a pessoas que se aproximaram para trocas interessantes. Começamos um ano depois do lançamento do orkut, que ainda era fechado apenas para convidados,  então muito do que foi postado no início deste deste zine eletrônico tem a cara de publicação comum das redes sociais de hoje. Para muita gente, foi a primeira experiência publicando despreocupadamente na internet, alguns até começaram seus próprios blogs depois. Hoje, ainda somos espaço para reflexões, trabalhos autorais, resenhas, e, mais recentemente, listas. E tudo isso está aqui nos nossos arquivos. Ao abrir nossa conta no instagram, nesses tempos de redes muitas, vi que chegamos aos QUINZE ANOS!

É muito tempo desde que criamos o ainda Facada Leite-Moça, um nome aleatório retirado de uma música de Fausto Fawcett, e que acho que foi o nome deste espaço por pelo menos a metade da sua existência. Como somos dinossauros da internet, ainda somos fruto do idealismo do conteúdo livre e compartilhado, por isso decidimos ser um espaço não monetizável e colocamos nossas publicações em licença Creative Commons.

O que nunca fizemos, nesta longa trajetória, foi organizar em um único post todo mundo que já passou por aqui. Não tínhamos feito, porque está aqui agora, os convidados todos para nossa festa de debutante. Além de mim, Roberta AR, e do André Rafaini Lopes, temos esta longa lista. Clique no nome para ver o conteúdo disponível:

Adriano de Almeida

André Francioli

André Gonzales

Antonio Netto

Antonio Souza

Biu

Bruno Azevêdo

Caio Gomez

Casa Locomotiva

Carla Lisboa

Carlos Dowling

Chapamamba

Cicinho Filisteu

Clara do Prado

Cláudo Parentela

DigóesX

Diogo Brozoski

Edgar Raposo

Érica Pierrobon

Evandro Esfolando

Everaldo Maximus

Felipe Marinho

FErio

Fernando Vasconcelos

Flávia Diab

Francisco Zenio

Gabriel Góes

Gabriel Mesquita

Igo Estrela

Jamile Vasconcelos

Juh Oliveira

Juliana Bolzan

Laluña Machado

Lauro Montana

Lilian Sampaio

Luciano Vitoriano

Luda Lima

Maurício Patiño

Mauro Castro

Michel Aleixo

Os Haxixins

Pedro Elias

Rafael Zolis

Raul Córdula

Sebastião Vicente

Stêvz

Thelma Ramalho

Tiago Penna

Túlio Flávio

Valdez

Zefirina Bomba

Escritoras brasileiras em domínio público

por Roberta AR

A literatura brasileira está entre as artes nacionais mais respeitadas em todo o mundo. Na escola, aprendemos que temos grandes nomes em todos os movimentos literários, mas só não vemos exclusivamente homens quando se fala de produções mais recentes, como se não houvessem romances escritos por mulheres no final do século XIX e início do século XX, por exemplo. As mulheres passam a se tornar invisíveis em pouco tempo, assim, panoramas e antologias acabam nos apagando, ainda hoje, no presente, e deixam apenas as marcas de homens, na sua maioria brancos, na história.

A lista que se segue reúne quatro importantes autoras e alguns de seus trabalhos, que já estão em domínio público. São contos e romances que publicamos aqui no Facada X ao longo dos anos.

 

Maria Firmina dos Reis

Maria Firmina dos Reis nasceu na Ilha de São Luís, no Maranhão, em 11 de março de 1825, falecida em 1917.  Em 1859, ela publicou o romance Úrsula, que teve sua edição bancada pela autora, e, hoje, este livro é considerado o primeiro romance publicado por uma mulher no Brasil. Mas sabemos que muitas mulheres publicaram com pseudônimo ou com o nome do marido ao longo da história, então não podemos nos fiar de que este seja realmente o primeiro, apesar de ser um marco importante da literatura brasileira.

Negra, abolicionista, sua obra é marcada pelo retrato da escravidão pelo ponto de vista dos escravos. Úrsula foi reeditado recentemente em versão impressa e deveria ser uma das obras que estudamos do Romantismo na escola. Outra obra importante da autora é o conto A Escrava, que foi publicado em 1887, na Revista Maranhense.

Leia aqui o primeiro capítulo do romance Úrsula (com pdf para a obra completa)

Leia aqui o conto A Escrava

 

Júlia Lopes de Almeida

Júlia Valentim da Silveira Lopes de Almeida, ou apenas Júlia Lopes de Almeida, nasceu no Rio de Janeiro, em 24 de setembro de 1862, onde também faleceu, em 30 de maio de 1934.

Foi contista, romancista, cronista, teatróloga, poeta, tradutora e jornalista e uma das idealizadoras da Academia Brasileira de Letras. Sua obra se mistura com seu ativismo, pois foi bastante atuante no movimento abolicionista. Por muito tempo escreveu às escondidas, pois a literatura não era considerada atividade para mulheres na época. Seu estilo é marcado pela influência do realismo e do naturalismo. Seus trabalhos influenciaram muitos artistas na época, entre eles, Artur de Azevedo.

Leia aqui o primeiro capítulo do romance A falência (com pdf para a obra completa)

Leia aqui o primeiro capítulo do romance A intrusa (com pdf para a obra completa)

Leia aqui o primeiro capítulo do romance Livro das donas e donzelas (com pdf para a obra completa)

Carmen Dolores

Carmen Dolores é o pseudônimo de Emília Moncorvo Bandeira de Melo, nascida em 11 de março de 1852, no Rio de Janeiro, morreu na mesma cidade em 16 de agosto de 1910. Foi uma importante escritora naturalista brasileira.

Sua obra mais famosa é o romance A luta, publicado em folhetim pelo Jornal do Commercio em 1909 e editado posteriormente, em 1911. A obra fala da sobre mulheres que questionam seu papel na família, mas que temem perder segurança social. Lutou pela educação das mulheres, pelo divórcio e foi uma importante jornalista na sua época, chegando a ser a colunista mais bem paga do periódico O País, no fim da vida..

Leia aqui o primeiro capítulo do romance A luta (com pdf para a obra completa)

Leia aqui o conto Lição Póstuma

Maria Benedita Bormann

Nascida em Porto Alegre, em 25 de novembro de 1853, faleceu no Rio de Janeiro, julho de 1895. Era conhecida pelo pseudônimo Délia,  com o qual assinou crônicas, romances, contos. Também atuou como jornalista. Publicou nos principais jornais do Rio de Janeiro.

Sua obra é considerada naturalista, e está entre as duas mulheres representantes do movimento, segundo estudiosos, aos lado de Carmen Dolores. Sua obra retrata mulheres complexas com uma pitada de erotismo, que chocou os críticos da época.

Leia aqui o primeiro capítulo do romance Uma vítima (com pdf para a obra completa)

Leia aqui o primeiro capítulo do romance Duas irmãs (com pdf para a obra completa)

 

Uma lista de quadrinistas mulheres no Drive

por Roberta AR

Faz uns anos que tenho feito listas de mulheres quadrinistas e ilustradoras. Trabalho com quadrinhos e zines independentes faz mais de uma década, divulgando, produzindo, organizando evento e uma constante é ter poucas mulheres nas publicações e qualquer coisa relacionada ao tema, menos nos bastidores, onde sempre são muitas.

E a justificativa dada para isso é sempre que existem poucas mulheres fazendo ou que o trabalho não tem qualidade. Para contestar essa “verdade” reproduzida pelo senso comum e que está longe de reproduzir a realidade, passei a organizar em listas os nomes de mulheres que trabalham com quadrinhos dos mais variados estilos.

Agora, decidi compartilhar uma planilha com todos os nomes que já reuni em posts, principalmente no MinasNerds, para que seja uma ferramenta fácil para consulta. Clique neste link do drive e veja seus nomes, cidades onde moram, links para seus sites e redes sociais: https://docs.google.com/spreadsheets/d/19AJsUN8kRa_30lXMRceBxjQYQrAbq1HXNn0VywQ1Loo/edit?usp=sharing

Veja, compartilhe, divulgue. Esta é uma lista em andamento, pode ser acrescida de nomes a qualquer momento.

1577049845573627

Mulheres artistas indígenas exaltam suas culturas na contemporaneidade

por Roberta AR

Abril indígena é tempo de reflexão sobre o papel das culturas originárias na nossa sociedade. Mas, culturas originárias e ancestrais não significam passado. As nações que resistem há mais de quinhentos anos de colonização e ocupação desregrada dos territórios brasileiros continuam ativas integrantes da sociedade, presentes nas universidades, nos movimentos populares e na produção cultural. Aqui selecionamos algumas mulheres indígenas das artes contemporâneas, que usam seu saber ancestral no que produzem como artistas visuais.

Espero que esse seja um incentivo para que exaltemos a cultura indígena produzida pelos próprios representantes desses povos e não apenas “artistas inspirados na cultura indígena”, como se fosse uma homenagem ao que não existe mais. Longa vida aos nossos povos originários, sua luta é a nossa!

 

Daiara Tukano

https://www.facebook.com/daiaratukano/

https://www.instagram.com/daiaratukano/

Indigena do povo Tukano, é formada pela Universidade de Brasília, mestranda em Direitos Humanos.  Educadora, militante indígena, feminista, e artista. Grande ativista dos povos indígenas, é correspondente da Rádio Yandê.

Daiara Tukano

 

Daiara Tukano
Daiara Tukano

Arissana Pataxó

http://arissanapataxo.blogspot.com/

Da etnia Pataxó, é graduada em Artes Plásticas pela Escola de Belas Artes – UFBA e  mestre em Estudos Étnicos e Africanos-UFBA. Seu trabalho em artes plástica usa de diversas técnicas para retratar a temática indígena no mundo contemporâneo. Ela foi a segunda colocada do prêmio PIPA On-line 2016.

Arissana Pataxó

 

Arissana Pataxó, Sem título, 2009

 

Arissana Pataxó, “Dxahá patxitxá kuyuna”, 2011

 

Carmézia Emiliano

https://pt.wikipedia.org/wiki/Carmézia_Emiliano

Indígena da etnia Macuxi, é uma importante artista plástica contemporânea, como seu trabalho de Arte Naïf. Seu trabalho retrata o cotidiano indígena em Roraima e, com ele, participou de quatro edições da Bienal Naïfs do Brasil.

Carmézia Emiliano
Obra de Carmézia Emiliano
Carmézia Emiliano

 

Suely Maxakali

https://www.facebook.com/sueli.maxakali

É liderança Tikumũ’ũn (Maxakali) e presidente da Associação Maxakali de Aldeia Verde, MG. Fotógrafa, participou, entre outros projetos, do livro Koxuk Xop Imagem (Beco do Azougue Editorial, 2009), com fotografias das mulheres maxakali sobre os rituais e o cotidiano da Aldeia Verde e de Cantobrilho tikumu’un: no limite do país fértil (2010), projeto de exposição e livro em torno da estética tikumũ’ũn. Faz fotografia still e assistência de direção nos filmes de Isael Maxakali. Também é professora do Programa de Formação Transversal em Saberes Tradicionais da UFMG.

Suely Maxali

Fotografia still e assistência de direção no filme:

 

Duhigó Tukano

https://www.facebook.com/duhigotukano/

Duhigó é artista visual amazonense da etnia Tukano da região do Alto Rio Negro, comunidade Paricachoeira. “Eu pinto o que não existe mais, e isto é muito importante para o meu povo. As máscaras de ritual, os potes que minha avó usava na aldeia e que os Tukano não fazem mais. Também pinto as lembranças da minha infância na aldeia. Elas só existem na minha memória, no meu imaginário. Pinto para não deixar a minha cultura morrer” (extraído de sua página no instituto Dirso Costa)

Duhigó

 

Duhigó, Máscara de Casamento Apurinã, 2013
Duhigó, Merã – Coisa antiga, 2014

 

Kawena

https://www.institutodirsoncosta.com.br/artistas/kawena/

Kawena é filha de pai e mãe kokama. Formou-se em Marchetaria de Quadros na Escola de Artes do Instituto Dirson Costa de Arte e Cultura Amazônicas e é a primeira mulher Kokama artista plástica de marchetaria da Amazônia, trabalho que foi exposto em diversas exposições coletivas.

Kawena

 

Kawena, Opotó Apitú – Cestaria Waiana, 2009
Kawena, Trançado de Peneira Baniwa, 2009

 

Naine Terena

Naine Terena de Jesus é Indígena Terena, do Brasil. É Doutora em Educação pela PUC/SP, mestre em Arte Contemporânea pela UNB/DF e graduada em Comunicação Social – habilitação em radialismo pela UFMT. Dá vida a sua  da Oráculo Comunicação, educação e cultura, onde é empreendedora sociocultural. A Oráculo e a arte militante de Naine Terena, fomentam a formação de pequenas redes de trabalho, envolvendo outras pessoas com sororidade e empatia pela resistência através da memória. https://oraculocomunica.wordpress.com/

Naine Terena

 

Quem roubou essas memórias? 

 

sem nome – dizeres

 

Yxa Py

Yxa Py é o nome guarani de Patrícia Ferreira, da etnia Guarani Mbya. Ela é cineasta, diretora de Desterro Guarani (2011), Tava, a casa de pedra (2012), Bicicletas de Nhanderú (2011). Seu mais recente filme, Teko Haxy – ser imperfeita (2018), dirigido ao lado de Sophia Pinheiro, é um encontro íntimo entre duas mulheres que se filmam. https://www.facebook.com/pg/tekohaxy

Teko Haxy – Trecho 3 Conversa from Coletivo Mbyá-Guarani de Cinema on Vimeo.

 

 

Mirna Kambeba Omágua – Yetê Anaquiri

https://www.facebook.com/mirna.anaquiri

Artista performer e estudante de artes plásticas, é a primeira estudante indígena a defender o mestrado na Universidade Federal de Goiás (UFG). Com o estudo autobiográfico “Que memórias me atravessam?”, em que discutiu o esvaziamento da cultura indígena no espaço escolar e trabalhou a desconstrução dos estereótipos da imagem dos povos originários, especialmente da mulher indígena, no ensino fundamental. Sua família conseguiu, após dez anos lutando na justiça, colocar o sobrenome indígena em seus documentos.

 

Graci Guarani

https://www.facebook.com/graci.guarani

Da nação Guarani, é comunicadora, cineasta, fotografa, designer e oficineira de audiovisual. E diretora de diversos curtas, entre eles: Terra Nua (2014), Mãos de Barros (2016), Mba’eicha Nhande Rekova’erã (2018). Sua produtora está com projeto para financiamento coletivo para compra de equipamentos, para ajudar clique em https://www.kickante.com.br/campanhas/equipamentos-audiovisual-p-cineastas-indigenas

 

Tempo circular (2018), direção de Graci Guarani

(publicado originalmente no site MinasNerds)

Mais ilustradoras negras, uma nova lista para guardar

por Roberta AR

Quase um ano depois da primeira lista (clique aqui para conhecê-las), reunimos agora mais ilustradoras negras, agora são mais de cem artistas listadas em dois posts. São trabalhos para todos os gostos, apreciem com carinho.

Amanda Duarte

https://www.facebook.com/colossalnand/

Amanda Duarte

Amanda Grigorio

https://www.behance.net/amandagrigorio

Amanda Grigorio

Ana Melo

https://www.instagram.com/Anafrankm/

Ana Melo

Anna Cláudia Magalhães (ANNA M.O)

https://www.instagram.com/annam.o/
https://www.facebook.com/annam.oilustra/

ANNA M.O

Ateliê Trovoa

Ana Almeida
Ana Clara Tito
Carla Santana
Laís Amaral


https://www.facebook.com/atelietrovoa/

Bárbara Silva

https://www.instagram.com/abarbasilva
https://www.behance.net/abarbarasilva

Bárbara Silva

Blenda Furtado

https://blendafurtado.com/

Blenda Furtado

Brisista

https://www.facebook.com/Brisista/
https://www.instagram.com/brisista/

Brisista

Camila Novaes

https://marromartecampinas.wixsite.com/cultura
https://www.facebook.com/MarromArte/

Camila Novaes

Carlota Moura

https://www.instagram.com/cajumoura/

Carlota Moura

Carolina Fernanda

https://www.instagram.com/carolinafsilvarts/

Carolina Fernanda

ClariLua

https://www.instagram.com/a.clarilua/

ClariLua

Cláudia

https://www.instagram.com/clawdraws_/

Cláudia

Dalila Mendonça

https://www.facebook.com/Inconsistência-546432055396341

Dalila Mendonça

Deise Karem

https://www.instagram.com/Astronaut_karem/

Deise Karem

Denise Silva

https://www.instagram.com/ise_camaleoa/
https://www.facebook.com/denisenhando/

Denise Silva

Dessa Silva (Pessega)

https://www.instagram.com/dessa_pessega/

Pessega

Deyse Neto

https://www.behance.net/derailustra

Deyse Neto

Domitila de Paulo

https://www.instagram.com/domitiladepaulo/

Domitila de Paulo

Duds Saldanha

https://www.behance.net/dudssaldanha

Duds Saldanha

Érika Gonçalves de Lima (Anegadoleite)

https://www.facebook.com/neggadoleite

Anegadoleite

Ernanda Souza

https://linktr.ee/ernanda91

Ernanda Souza

Estreleta

https://www.instagram.com/estreleta/

Estreleta

Gabriela Pires

https://www.behance.net/gbrlpires

Gabriela Pires

Gigi Araujo

https://www.instagram.com/amoricesdagi/

Gigi Araujo

Giulia Gartchia

https://www.instagram.com/gartchia/

Giulia Gartchia

Isabela Santos

https://www.facebook.com/IsabelaSantosArt/

Isabela Santos

Lara Dias

https://laradias.com

Lara Dias

Leta

https://www.facebook.com/negapeta/

Leta

Letícia Carvalho

https://www.instagram.com/leticafe

Letícia Carvalho

Letícia Lubke

https://www.behance.net/leticialubke

Letícia Lubke

Leticia Quintiliano

http://leticiaquintilhano.tumblr.com
https://www.behance.net/leticiaquintilhano

Leticia Quintiliano

Lidia Viber

https://www.facebook.com/lidiaviber/

Lidia Viber

Lila Cruz

https://www.instagram.com/colorlilas/
https://www.facebook.com/quadradaeditora/

Lila Cruz

Lyillo

https://www.facebook.com/Lyillo

Lyillo

Malokêarô

https://www.instagram.com/malokearo/

Malokêarô

Marcela Werneck

https://marcelawerneck.myportfolio.com/
https://www.instagram.com/00cela/

Marcela Werneck

Maria Izabel Nascimento Muller

https://www.facebook.com/mariaizabel.nascimentomuller

Mariana de Matos

https://www.facebook.com/CASADEMARE/

Mariana de Matos

Mariana Ser

https://marianaser.com.br
https://www.facebook.com/marianaserr/

Mariana Ser

Michele Nunes

https://www.instagram.com/michelenunesart/
http://michelenunesart.tumblr.com/
https://www.behance.net/michelenunesart

Michele Nunes

Natália Brito (Pipa Azul)

https://www.facebook.com/pipaazull/

Pipa Azul

Nene Surreal

https://nenesurreal.carbonmade.com/
https://www.instagram.com/surrealnene/

Nene Surreal

Orádia Porciúncula

https://www.facebook.com/Oradia.NCP

Orádia Porciúncula

Raquel Gouvêa

https://www.instagram.com/raquelgjfc/
https://raquelgouvea.format.com/

Raquel Gouvêa

Renata S. Madaleno

https://www.instagram.com/renatasketch/

Renata S, Madaleno

Rosana Paulino

http://www.rosanapaulino.com.br/

Rosana Paulino

Sheila Ayó

https://www.facebook.com/sheylaferro.arts

Sheila Ayó

Sirc Heart

https://www.facebook.com/Sirc-Heart-826224007437073
https://www.instagram.com/sirc_heart/

Sirc Heart

Taise Garcia

https://www.instagram.com/taisegarcia.art/

Taise Garcia

Taynara Cabral

https://www.instagram.com/taycabral/

Taynara Cabral

Thais Cantelmo

https://www.behance.net/thacantelm541e

Thais Cantelmo

Thais Mota

http://thaismoa.tumblr.com/
https://www.instagram.com/thaimoa/

Thais Mota

Vanessa Monteiro

https://www.facebook.com/vanmonteiroarte/

Vanessa Monteiro

Yasmin Oliveira

https://www.instagram.com/ymo.ink/

Yasmin Oliveira

publicado originalmente no site MinasNerds

Muitas ilustradoras negras para conhecer e acompanhar

por Roberta AR

Esta é mais uma lista de mulheres artistas que vai ao ar por aqui. Desta vez reunimos ilustradoras negras e seus trabalhos de tirar o fôlego (não estou brincando, são coisas maravilhosas em cada um desses links). Veja, divulgue, siga o trabalho dessas cinquenta minas maravilhosas.

Amanda Daphne

http://elailustra.wixsite.com/amanda-daphne/portfolio

ilustração de Amanda Daphne

 

Ana Cardoso

https://www.facebook.com/anacardosart/
https://www.behance.net/ana_cardoso
https://www.facebook.com/BlackInk.Cursos

ilustração de Ana Cardoso

 

Ana Maria Sena

https://www.facebook.com/namaria.ssp/
https://www.instagram.com/__namaria/

ilustração de Ana Maria Sena

 

Annie Ganzala

https://www.facebook.com/annieganzala/

ilustração de Annie Ganzala

 

Ariane Cor

http://arianecor.net/

ilustação de Ariane Cor

 

Carli Ayô

https://www.instagram.com/carli_ayo/
https://br.pinterest.com/Ayoramos/ilustrações-do-imaginario/

ilustração de Carli Ayô

 

Carolina Fôlego

https://www.facebook.com/folegograffiti/

Grafite de Fôlego

 

Chiquinha Nzenze

https://www.facebook.com/kindumbadaana/

ilustração de Chiquinha

Crica Monteiro

https://www.facebook.com/CricaGraff/

grafite de Crica

Criola

https://www.facebook.com/criolagraff/
https://www.instagram.com/criola___/

pintura de Criola

 

Danielle Akili

https://www.facebook.com/danielleakili/

ilustração de Danielle Akili

 

Day Lima

https://www.instagram.com/dayisis/

ilustrações de Day LIma

 

Deyse Carina

https://www.facebook.com/DeyseCarinaDesenhos/

ilustração de Deyse Carina

 

Dharilya

https://www.facebook.com/Dharilya/

ilustração de Dharilya

 

Dhiovana Barroso (Dhiôw)

https://www.instagram.com/ahhdindi/
https://www.facebook.com/adivinhadindi/

quadrinho de Dhiôw

 

Dika Araújo

https://www.facebook.com/theartofdika/
https://www.artstation.com/dianearaujo

ilustração de Dika Araújo

 

Dorea

https://www.instagram.com/renatadore/
https://www.facebook.com/DOREAAAAAAAAA/

ilustração de Dorea

Flávia Borges

https://www.instagram.com/breezespacegirl/
https://www.behance.net/flaviabsilustra

ilustração de Flávia BorgesFlávia Borges

 

Flávia Carvalho

https://www.facebook.com/faw.atelier/
https://www.instagram.com/fawcarvalho/

ilustração de Flávia Carvalho

 

Gabriela Nolasco

https://www.instagram.com/gabienna/

ilustração de Gabriela Nolasco

 

Ianah

https://www.instagram.com/ianah_/
https://www.ianah.net/

ilustração de Ianah

Inajah Cesar

https://www.behance.net/inahcesar
https://www.instagram.com/inajah/

publicação de Inajah Cesar

 

Janaína Esmeraldo

https://www.instagram.com/cabelonuvem/

quadrinho de Janaína Esmeraldo

Jéssica Góes

https://www.instagram.com/jessicargoes/

ilustração de Jéssica Góes

Kerolayne Kemblin

https://www.facebook.com/kerolaynekk/

ilustração de Kerolayne Kemblin

 

Lhaiza Morena

https://www.facebook.com/lhaizamorena/

ilustração de Lhaiza Morena

 

Libértula

https://www.instagram.com/libertul4/
https://www.facebook.com/libertul4/

ilustração de Libértula

Limão

https://www.facebook.com/limaojpeg

ilustração de Limão

 

Linoca Souza

(já entrevistamos ela por aqui)
https://www.facebook.com/linoca.art/

ilustração de LInoca

 

Lívia Pereira Agabel

https://www.instagram.com/livia_agabel_ilustracoes/

ilsutração de Lívia Pereira Agabel

 

Maria Freitas

https://www.facebook.com/Vespertin0/

ilustração de Maria Freitas

 

Maria Rosa

https://www.facebook.com/mariarosa.art/
http://www.artedemaria.com/

colagem de Maria Rosa

 

Marília Marz

https://www.instagram.com/mariliamarz/

ilustração de Marília Marz

 

Mari Melo

https://mari-melo3.tumblr.com/
https://www.instagram.com/afrolatina_girl_art/

ilustração de Mari Melo

Mayara Smith

https://www.instagram.com/avacapreta/
https://www.facebook.com/MayaraSmithIlustracao

quadrinho de Mayara Smith

 

Michelle Oliveira

https://www.facebook.com/teenagemicha/
http://teenagemicha.tumblr.com/

ilustração de Teenage Micha

Nathália Ferreira

https://www.facebook.com/desbravandoalemmar/
https://www.instagram.com/desbravandoalemmar/

grafite de Nathália Ferreira

 

Nayra

https://www.facebook.com/amazingnayra/
http://nayra-souza.daportfolio.com/

ilustração de Nayra

 

Negahamburguer

https://www.facebook.com/olanegahamburguer/
http://cargocollective.com/olanegahamburguer

ilustração de Negahamburguer

 

Panmela Castro

https://www.facebook.com/panmelacastro/
https://panmelacastro.carbonmade.com/

pintura de Panmela Castro

 

Paula Bonfim

https://www.facebook.com/paulla.bomfim
https://www.facebook.com/paullabomfimloja/

ilustração de Paula Bonfim

 

Penaforte

https://www.instagram.com/penaforte.art/
https://www.facebook.com/nilakpenaforte

ilustração de Penaforte

 

Preta

https://www.instagram.com/preeta_art/

ilustração de Preta

 

Preta Ilustra (Vanessa Ferreira)

https://www.facebook.com/pretailustra/

ilustração de Preta Ilustra

 

Roberta Nunes

https://www.facebook.com/piadasrasas/

ilustração de Roberta Nunes

Salamanda Gonçalves

https://www.facebook.com/MandingasComunicacao/
https://www.instagram.com/asalamanda/

ilustração de Salamanda Gonçalves

 

Silsil do Brasil

https://www.facebook.com/silsil.brasil

ilustração de Silsil do Brasil

 

Silvelena Gomes (Sil)

https://www.instagram.com/ilustrasil/
https://www.facebook.com/ilustrasil/

ilustração de Silvelena Gomes

Valentina Fraiz

http://anemonaestudio.tumblr.com/
https://www.facebook.com/EstudioAnemona/

ilustração de Valentina Fraiz

Yasmin Ferreira

https://www.facebook.com/arteprayaya/
https://www.instagram.com/arteprayaya/

pintura de Yasmin Ferreira

 

(publicado originalmente no site MinasNerds)