Travessia

por Biu*

O rio, a balsa, o monstro e o livro: Um sonho.
Eu não sei. Ganges, Yamuna, Kaveri, Narmada e Brahmaputra, o Negro e o Solimões, o Tigre e o Eufrates, o Aqueronte, o Cócito e o Flagetonte. O Lete, ou o Estige. O meu rio atravessa um deserto, o meu livro branco de letras pretas, sem entrelinhas. Minha balsa uma balança, e meu monstro real como a gravidade.
Eu sonhei o sonho novamente, novamente desci o rio lendo o livro que relata a viagem. É estranho esse rio, sua travessia faz-se ao longo e não de margem à margem, ao sabor da correnteza, que em meu sonho chama-se Acaso. Sua outra margem é um novo rio chamado Oceano. E é estranho esse livro, que ao mesmo tempo é relato e guia da viagem que é única. E é horrível esse monstro, que é pressentido mas nunca visto, e nos ronda durante todo o percurso, tão real quanto maior forem nossos medos.
E assim descemos o rio que atravessa um deserto. Ao meu lado um homem começa a me contar seus pecados, a balsa pende para seu lado e esteve a ponto de virar. Foi preciso redirecionar uma criança para o outro extremo para que não fossemos todos a pique.
Uma velha saca de sua bolsa um ramo e começa a nos benzer, um senhor atira cédulas a torto e a direito, distribui as notas indistintamente entre os passageiros, cada um faz o que acha correto, simpatia e lógica dão no mesmo aqui. Bombordo é Estibordo.
Eu tomo nota, descrevo minhas impressões. Se for perspicaz em minhas observações, se chegar vivo ao final, se um dia acordar, minha jornada será mais um livro nas mãos de mais um sonhador. Eu só acordo de meu sonho quando ele chega à outra margem.

Manuscrito contemporâneo, encontrado no caminho subterrâneo que liga o Congresso Nacional a Machu Picchu (isto não é apenas uma lenda).

.

*Biu é paraibano, farmacêutico e faz quadrinhos.

Anúncios
Com a tag

Um comentário em “Travessia

  1. IMPRESSÕES em preto e branco I: Vc está a deriva a procura de um caminho concreto não secreto, mas ‘O rio’ não é mesmo assim e nem assado e segue um rumo e vc sem forças segue assim mesmo pois o rio precisa do Mar e o mar é o mundo que desconhecemos. Sua vida, seu mundo numa ‘a balsa’ assim com Noé vc escolheu o que devia levar na sua bagagem, mas como vírus vc fez download de alguns e não sabe. O desconhecido medo de viver ou de não viver ou de descobrir que vive é ‘o monstro’ o monstro da ignorância que nos percegue e que nos diz que estamos no caminho, mas não se sabe por que hj noz dizem que há várias verdades. ‘e o livro’: sua vida ou algo que quer dizer, não compartilhar, mesmo que compartilhe indiretamente, Mas que está preso Vc quer preencher as páginas em branco, mas com oque tanto? Um sonho: Um desejo íntimo que perdura, mas não pode sair, porque é como os videos de Frank zappa só pra ver e não falar … Mas vc quer falar, mas está fora de si.

    IMPRESSÕES em preto e branco II: Sei lá! mas vai ao psicólogo que pode ser início de depressão!!

    IMPRESSÕES em preto e branco III: Vc por acaso não estava lendo a Divina Comédia e estava bebendo e fumando com seus colegas enquanto passava O Pânico na TV e acabou dormindo?

    IMPRESSÕES em preto e branco IV: vc não estava fazendo reprises de fim de ano assistindo a TV cultura e depois foi assistir ao episódio de Hercules quando ele vai ao inferno?

    Em todo caso: quando beber não dirija!!

Os comentários estão encerrados.