Judas Dançarino!

por André Rafaini Lopes

Pra ser sincero, foi com a frase acima que Dylan Dog me conquistou. Não conhecia muito desse fumetti (quadrinhos italianos) até ler um Top 10 com os melhores bordões das HQs. É claro que não deixaram o inefável “Ta na hora do pau!” (GRIMM, Benjamin J.), de lado, mas com razão dedicaram o primeiro lugar ao Detetive do Pesadelo!

Sim, Dylan Dog é um detetive, mas como poucos. Além do genial “Judas dançarino!” que o acode a cada susto, carrega consigo um parceiro não menos ímpar. Ninguém menos que Groucho Marx. Sim, Groucho Marx – com direito a bigode e charuto – que, com um texto muito competente, no papel, é tão afiado quanto sua contraparte real foi no cinema!

Lembro desse título da italianíssima editora Bonelli simplesmente porque Dylan Dog é uma das unanimidades do Facada!

Dog é um detetive a quem a Interpol – sempre a contragosto – recorre para os casos mais não-naturais. Moçoilas desamparadas também fazem parte da clientela de Dylan, que a elas não recusa hora extra. Sempre metido em histórias com pitadas de estranheza e terror, nunca há como prever o que se encontram nas páginas de Dog – de Magritte aos mortos-vivos de Romero.

Esse mês – e convido outros colaboradores a fazerem sua resenha – a revista vem com a ótima História de Ninguém. Cheia de reviravoltas, a HQ traz inúmeras (anti-)referências para quem já é fã da série dar aquele sorrisinho de canto de boca. E como poucos enredos anteriores, esse bate recorde de inexplicabilidade!

Bah… nada que Dylan não tire de letra!

Para constar nos autos: História de Ninguém casou direitinho com outro livro que estou lendo. Prelúdios e Noturnos é compilação de luxo das primeiras edições de Sandman. IMPERDÍVEL. Comentários sobre Gaiman fica para um próximo post!

UAAARRGH!

Anúncios