Feminicídio nos quadrinhos – a perspectiva feminina nas HQs nacionais

por Dani Marino* A cada hora, mais de 500 mulheres são vítimas de agressão física no Brasil. O país tem o quinto maior índice do mundo de assassinatos de mulheres” A frase acima abre a HQ A filha da mãe, de Tinda Costa e Alexandre Magalhães. Com ampla divulgação em diversos veículos nacionais, a narrativa se … Continue lendo Feminicídio nos quadrinhos – a perspectiva feminina nas HQs nacionais

Batman Terra de Ninguém: do Contrato Social ao Leviatã

por Laluña Machado* “… Depois que o solo partiu e os edifícios tombaram, a nação abandonou Gotham City. A partir de então, apenas os valentes, os saqueadores e os insanos permaneceram no lugar que passou a ser chamado de Terra de Ninguém.” Lançado em janeiro de 1999 e com término em dezembro do mesmo ano, Terra de Ninguém coloca-se … Continue lendo Batman Terra de Ninguém: do Contrato Social ao Leviatã

Coringa: da insanidade ao poder disciplinar foucaultiano

por Laluña Machado* Considerado o maior vilão de todos os tempos da cultura pop, quiçá da cultura de modo geral, surgindo um ano após a criação do Homem-Morcego em Batman #1 (1940), o Coringa teve sua composição inspirada no clássico  L'Homme qui rit (O Homem que Ri) de Vitor Hugo, que ganhou uma produção cinematográfica de … Continue lendo Coringa: da insanidade ao poder disciplinar foucaultiano

As mulheres em Mensur

por Roberta AR Mensur é uma prática de esgrima em que os dois lutadores devem acertar o rosto um do outro com espadas afiadas. Começou a ser praticada no início do século XX, aparentemente, por grupos de universitários alemães, que exibiam suas cicatrizes na face como troféus. Uma coisa máscula. Esse também é o nome … Continue lendo As mulheres em Mensur

Olga, a sexóloga vol. 2: a volta da taradóloga

por Roberta AR Eu comecei a escrever mais sistematicamente sobre quadrinhos feitos por mulheres faz pouco mais de meia década e uma das primeiras resenhas que escrevi foi sobre o primeiro volume de Olga, a sexóloga (o texto pode ser lido aqui), personagem que eu tinha acabado de conhecer. O trabalho da autora, Thaïs Kisuki … Continue lendo Olga, a sexóloga vol. 2: a volta da taradóloga

A mão do pintor: a Guerra do Paraguai no olhar de dois artistas visuais

por Roberta AR Uma tenossinuvite une, numa situação absolutamente inusitada, os desenhistas compulsivos Maria e Cándido. O inusitado? Cândido é o espírito de um ex-soldado da Guerra do Paraguai que aparece para pedir que Maria continue sua obra, terminando seus quadros do campo de batalha. O ponto em comum entre eles é o médico que … Continue lendo A mão do pintor: a Guerra do Paraguai no olhar de dois artistas visuais

Olga, a sexóloga: sexo, humor e feminismo

por Roberta AR Acredito que o gênero mais tradicional do quadrinho brasileiro é o humor. Os autores mais citados e referenciados das tirinhas (aqui falo do público adulto) quase sempre são os que fazem quadrinhos de humor. Acho que não preciso nem citar exemplos. Lembro que foi um pesquisador português de banda desenhada (que é … Continue lendo Olga, a sexóloga: sexo, humor e feminismo