Quinze anos de Facada X

por Roberta AR

Criado como um espaço livre para publicar, por mim e pelo André, o Facada sempre esteve aberto aos nossos amigos e a pessoas que se aproximaram para trocas interessantes. Começamos um ano depois do lançamento do orkut, que ainda era fechado apenas para convidados,  então muito do que foi postado no início deste deste zine eletrônico tem a cara de publicação comum das redes sociais de hoje. Para muita gente, foi a primeira experiência publicando despreocupadamente na internet, alguns até começaram seus próprios blogs depois. Hoje, ainda somos espaço para reflexões, trabalhos autorais, resenhas, e, mais recentemente, listas. E tudo isso está aqui nos nossos arquivos. Ao abrir nossa conta no instagram, nesses tempos de redes muitas, vi que chegamos aos QUINZE ANOS!

É muito tempo desde que criamos o ainda Facada Leite-Moça, um nome aleatório retirado de uma música de Fausto Fawcett, e que acho que foi o nome deste espaço por pelo menos a metade da sua existência. Como somos dinossauros da internet, ainda somos fruto do idealismo do conteúdo livre e compartilhado, por isso decidimos ser um espaço não monetizável e colocamos nossas publicações em licença Creative Commons.

O que nunca fizemos, nesta longa trajetória, foi organizar em um único post todo mundo que já passou por aqui. Não tínhamos feito, porque está aqui agora, os convidados todos para nossa festa de debutante. Além de mim, Roberta AR, e do André Rafaini Lopes, temos esta longa lista. Clique no nome para ver o conteúdo disponível:

Adriano de Almeida

André Francioli

André Gonzales

Antonio Netto

Antonio Souza

Biu

Bruno Azevêdo

Caio Gomez

Casa Locomotiva

Carla Lisboa

Carlos Dowling

Chapamamba

Cicinho Filisteu

Clara do Prado

Cláudo Parentela

DigóesX

Diogo Brozoski

Edgar Raposo

Érica Pierrobon

Evandro Esfolando

Everaldo Maximus

Felipe Marinho

FErio

Fernando Vasconcelos

Flávia Diab

Francisco Zenio

Gabriel Góes

Gabriel Mesquita

Igo Estrela

Jamile Vasconcelos

Juh Oliveira

Juliana Bolzan

Laluña Machado

Lauro Montana

Lilian Sampaio

Luciano Vitoriano

Luda Lima

Maurício Patiño

Mauro Castro

Michel Aleixo

Os Haxixins

Pedro Elias

Rafael Zolis

Raul Córdula

Sebastião Vicente

Stêvz

Thelma Ramalho

Tiago Penna

Túlio Flávio

Valdez

Zefirina Bomba

Coceirinha aqui

Por FErio*

Em dois tempos a mancha aumentou de tamanho. De pequenina gota penetrando em tecido morno, era agora espessa e empapada, gotejando pelo braço abaixo. O epicentro da coceira era uma pequena eczema avermelhada no comecinho do ombro. Passou a unha assim, como quem não quer nada. A coceira era boa, satisfazia-lhe o roçar na pele, a dorzinha. Essa era ainda melhor, pedia coçadas mais agressivas e concentradas. Um descamar leve,  riscos esbranquiçados  na área afetada, que se avermelhavam fazendo vergões ruborizados. A coceira, tem esse prazer proibido, crescente que leva a dar uma coçadinha extra, uma coçadinha pós coçadinha, e mais outra e outra. Rompe-se uma parte de pele e a gotinha de sangue surge brilhante. Ele se assusta, mas a coceira, que já se espalhou pelo braço é boa. Enquanto faz outras coisas, torna a dar algumas coçadinhas matreiras, descompromissadas, mas em lampejos de vontade a raspagem da epiderme torna-se mais e mais violenta, mais sangue brota, pedaços de carne se expõem. A dor pós coceira é absurda, traz junto com ela, o arrependimento de tentar ir cada vez mais longe. Ele se deita, fica com os olhos fechados, esperando parte da dor passar, já que elegeu novos pontos de coceira no outro braço e no peito. E no ombro. E na virilha. Nas coxas. A vontade ressurge num roçar de algo leve com a mão, numa cócega do cobertor às costas, e a coçada é cada vez mais brutal, quase animalesca, com urros e sons de raspar, e sangue brotando por todos os lados, delicioso, deliciosa sensação, tão ampla, e efêmera.
.
* Rodrigo se esconde em uma parede fantástica inexistente e se engana que é FErio. FErio convence Rodrigo que este, não é nenhum dos dois, mas que ambos são outras pessoas que ele desconhece mas que escrevem a respeito dessa terceira.