O Facada e suas publicações de domínio público

por Roberta AR O Facada X foi criado para ser um espaço de livre difusão, quando a internet se tornou um lugar de trocas de fácil acesso. Um dos ideais é o do conteúdo de qualidade sem custo, por isso é um zine eletrônico com licença Creative Commons. Em certo momento, decidimos começar a publicar … Continue lendo O Facada e suas publicações de domínio público

Milagre do Natal

por Lima Barreto* O bairro do Andaraí é muito triste e muito úmido. As montanhas que enfeitam a nossa cidade, aí tomam maior altura e ainda conservam a densa vegetação que as devia adornar com mais força em tempos idos. O tom plúmbeo das árvores como que enegrece o horizonte e torna triste o arrabalde. … Continue lendo Milagre do Natal

Tenho esperança que…

por Lima Barreto* Certas manhãs quando desço de bonde para o centro da cidade, naquelas manhãs em que, no dizer do poeta, um arcanjo se levanta de dentro de nós; quando desço do subúrbio em que resido há quinze anos, vou vendo pelo longo caminho de mais de dez quilômetros, as escolas públicas povoadas. Em … Continue lendo Tenho esperança que…

Maio

por Lima Barreto* Estamos em maio, o mês das flores, o mês sagrado pela poesia. Não é sem emoção que o vejo entrar. Há em minha alma um renovamento; as ambições desabrocham de novo e, de novo, me chegam revoadas de sonhos. Nasci sob o seu signo, a treze, e creio que em sexta-feira; e, … Continue lendo Maio

A lei

por Lima Barreto* Este caso da parteira merece sérias reflexões que tendem a interrogar sobre a serventia da lei. Uma senhora, separada do marido, muito naturalmente quer conservar em sua companhia a filha; e muito naturalmente também não quer viver isolada e cede, por isto ou aquilo, a uma inclinação amorosa. O caso se complica … Continue lendo A lei

Elogio da morte

por Lima Barreto* Não sei quem foi que disse que a Vida é feita pela Morte. É a destruição contínua e perene que faz a vida. A esse respeito, porém, eu quero crer que a Morte mereça maiores encômios. É ela que faz todas as consolações das nossas desgraças; é dela que nós esperamos a … Continue lendo Elogio da morte

Carta de um defunto rico

por Lima Barreto*  “MEUS CAROS amigos e parentes. Cá estou no carneiro nº 7..., da 3ª quadra, à direita, como vocês devem saber, porque me puseram nele. Este Cemitério de São João Batista da Lagoa não é dos piores. Para os vivos, é grave e solene, com o seu severo fundo de escuro e padrasto … Continue lendo Carta de um defunto rico

A gratidão do Assírio

por Lima Barreto* - Meu caro Senhor Assírio, eu lhe tinha a perguntar se de fato está satisfeito com a vida. Nós nos havíamos introduzido no elegante porão do Municipal e falávamos ao restaurante chic com água na boca. Este não tardou em responder: - Sei, doutor. Rui Barbosa não tem igual. - Mas por … Continue lendo A gratidão do Assírio

País rico

por Lima Barreto* Não há dúvida alguma que o Brasil é um país muito rico. Nós que nele vivemos; não nos apercebemos bem disso, e até, ao contrário, o supomos muito pobre, pois a toda hora e a todo instante, estamos vendo o governo lamentar-se que não faz isto ou não faz aquilo por falta … Continue lendo País rico

Conhecem?

por Lima Barreto* Eu não sei que mania se meteu na nossa cabeça moderna de que todas as dificuldades da sociedade se podem obviar mediante a promulgação de um regulamento executado mais ou menos pela coação autoritária de representantes do governo. Nesse caso de criados, o fato é por demais eloquente e pernicioso. Por que … Continue lendo Conhecem?

O tal negócio de “Prestações”

por Lima Barreto* O senhor Jose de Andrade era contramestre de uma oficina do Estado, situada nos subúrbios. Era ele o único homem da casa, pois, do seu casamento com dª Conceição, só lhe nasceram filhas, que eram quatro: Vivi, Loló, Ceci e Lili. Era homem morigerado, sem vícios, exemplar chefe de família, que ele … Continue lendo O tal negócio de “Prestações”